Informação

Depressão, um mal do nosso tempo

Depressão, um mal do nosso tempo


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Palavra depressão É do latim e significa deprimido ou demolido. Refere-se a uma queda, um afundamento ou buraco. O significado da palavra significa que ela pode ser facilmente associada a um momento de tristeza.

O tempo que temos para viver tem uma particularidade que vale a pena destacar. É o mercado que regula nossas vidas, ainda mais do que supomos. Também está sob suas coordenadas que dia após dia somos forçados a consumir cada vez mais.

Conteúdo

  • 1 Depressão em nossa sociedade atual
  • 2 manuais de diagnóstico
  • 3 Reflexão final

Depressão em nossa sociedade atual

Tudo parece estar ao nosso alcance: objetos eletrônicos, comida, estética corporal e até remédios. Somos esmagados por um imperativo de consumo que nunca para. Sempre há algo mais para ter ou fazer; Há sempre um modelo mais recente de celular para comprar.

Passar por um momento de angústia é inadmissível para essa sociedade contemporânea que exige um pouco mais a cada dia. Não há tempo para estar triste, pensar ou sofrer por algo que perdemos.

Em sintonia com esse contexto, existem tratamentos que garantem saídas rápidas para essa condição chamada depressão, geralmente por meio de pílulas antidepressivas, que nos devolvem imediatamente ao turbilhão diário.

É verdade que os medicamentos melhoraram significativamente nos últimos anos e geralmente conseguem fazer com que seus sintomas desapareçam. Mas isso também nos leva a retomar nossa vida cotidiana sem dar origem à pergunta: "O que estava errado?". Sofrimento repentino indica que há algo que não funciona mais como antes. Uma maneira possível é restaurar a rotina diária anterior, na qual o problema havia aparecido.

Essa solução aparente logo falhará, a menos que comecemos investigando as razões que deram início ao sofrimento, facilitando assim a oportunidade de algo mudar em profundidade. Quando isso não acontece, A dependência antidepressiva se torna crônica. Agora a aposta é redobrada: se você está deprimido, você se torna viciado.

Manuais de diagnóstico

Nos manuais de psiquiatria DSM-V e CID-10 (Classificação de doenças mentais da American Psychriatric Association) A depressão é considerada um transtorno do humor, caracterizado por sintomas como insônia, hipersonia, sentimentos de inutilidade, pensamentos recorrentes de morte, diminuição ou aumento do apetite, entre outros. E, atualmente, é o que é "curado" com antidepressivos. No entanto, todos nós podemos nos identificar com esses sintomas em algum momento da vida e é por isso que não devemos recorrer a antidepressivos.

Nestes momentos em que a classificação diagnóstica está muito na moda, dar um nome ao sofrimento pode ser tranquilizador. Mas não esqueça que isso também pode ser uma armadilha. O diagnóstico de depressão rotula o sofrimento e elimina as causas únicas que o causam, produzindo um mal-estar padronizado. Portanto, se existe uma desordem igual para todos, também haveria um tratamento universal, excluindo assim a subjetividade.

Reflexão final

No entanto, na clínica diária, é muito evidente que a causa do sofrimento não é a mesma para todos os que consultam. Ao entrar na história de um paciente, é rapidamente revelado que há algo muito típico de cada um que dá origem à angústia. Assim, a idéia de uma "depressão para todos" está perdendo significado.

Nesta era de consumo constante e pela ampla oferta do mercado de saúde, acreditamos que ainda é possível pensar em um tratamento que apele à singularidade e que, longe de adormecer, permita-nos acordar.

Juan Lo Carmine Gammel e Santiago Peidro;
Graduados em Psicologia pela Universidade de Buenos Aires, graduados pelo ICBA (Instituto Clínico de Buenos Aires)



Comentários:

  1. Swintun

    Sim, tudo é lógico

  2. Korrigan

    Você não está certo. Tenho certeza. Convido você a discutir. Escreva em PM.

  3. Branddun

    Absolutamente concordo com você. Há algo também, acho que é uma boa ideia.

  4. Boadhagh

    Ei! Todos que lêem este blog - Boa Abordagem e Acordo!



Escreve uma mensagem